BLOG EAD PREMIUM UNIFACVEST
21 de maio de 2021

O que é Licenciatura em Educação Especial?

O tema de hoje aqui do blog Unifacvest diz respeito ao curso de Licenciatura em Educação Especial EAD.

Mas, antes que você possa entender sobre os aspectos pedagógicos da graduação, vamos trazer algumas definições que explicam um pouquinho sobre a Educação Especial.

De acordo com a Política Nacional de Educação Especial – PNEE, a educação especial reúne teorias para fundamentar o uso de diferentes metodologias, técnicas e equipamentos específicos, bem como para a produção de materiais didáticos adequados e adaptados e para o desenvolvimento de tecnologia assistiva.

Assim, esta metodologia adaptada é oferecida, preferencialmente (o que não significa exclusivamente), em escolas regulares inclusivas e em classes e escolas especializadas destinadas aos alunos que não se beneficiam das classes e escolas comuns ou regulares.

Ainda neste sentido, a educação especial oferece recursos e serviços para garantir a educação equitativa e inclusiva nas salas de aulas regulares inclusivas, nas escolas e classes especializadas, nas escolas bilíngues de surdos, nas escolas-polo, nas salas de recursos multifuncionais e específicas e nos centros de atendimento educacional especializado.

educação especial ead

Sobre o curso de Licenciatura em Educação Especial

Em outras palavras, e de modo mais resumido, isso significa que o curso de Licenciatura em Educação Especial EAD contempla o direito de acesso ao ensino regular de pessoas com deficiência, sejam elas física, mental, visual, auditiva, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação.

educaçao-especial

E para atender essa necessidade, o curso de Licenciatura em Educação Especial tem a duração de dois anos, nos quais o acadêmico deve consumir toda a teoria e prática necessárias para que se torne um profissional capaz de identificar e avaliar as capacidades intelectuais e cognitivas de alunos que apresentam dificuldades para aprender, relacionar-se com as pessoas ou algum outro déficit que interfira, direta ou indiretamente, na educação acadêmica.

Por isso, durante os períodos de estudo, terá contato com disciplinas como História da Educação, Libras, Psicologia da Educação, Políticas Educacionais e Organização da Educação Básica, Fundamentos da Educação Especial e Inclusiva, Metodologia do Ensino da Educação Especial, Psicomotricidade no Contexto Escolar, Fundamentos da Educação Especial e Inclusiva, Práticas de Leitura e Escrita de Alunos com Deficiência Intelectual, Transtornos Globais de Desenvolvimento e Altas Habilidades, Transtorno do Espectro Autista, Deficiência Intelectual, Física e Psicomotora.

Confira uma videoaula demonstrativa do curso referente ao conteúdo de Psicomotricidade no Contexto Escolar:

 

Diferentes áreas da formação em Educação Especial

Como já mencionamos anteriormente, quem se forma no curso de Licenciatura em Educação Especial está habilitado para atuar com pessoas com deficiência, sejam elas Auditiva/Surdez, Visual, Intelectual, Física, Transtorno Global do Desenvolvimento e Altas habilidades/Superdotação.

Abaixo, explicamos um pouco sobre cada área e suas demandas, de acordo com o exposto no PNEE:

Auditivo-visual: atendimento aos alunos que possuem perdas sensoriais significativas como surdocegos, as quais estão associadas à baixa visão/cegueira e perda auditiva/surdez.

Estes tipos de deficiência demandam a utilização de sistemas tais como o Braille, a Língua de Sinais Tátil, o Tadoma, o alfabeto datilológico, a comunicação háptica e recursos e serviços específicos para acessibilidade ao currículo, orientação e mobilidade.

Físico-motor: alunos que possuem impedimentos referentes às funções e estruturas corporais que afetam a mobilidade, o movimento e/ou a fala.

O profissional que atua neste área deve fazer uso de sistemas comunicacionais, recursos pedagógicos e de tecnologia assistiva para acessibilidade ao currículo e aos espaços escolares.

Intelectual: alunos com impedimento referente aos déficits nas funções intelectuais e no comportamento adaptativo, manifestados nos domínios conceitual, social e prático da vida.

Mental: impedimento referente aos transtornos mentais (psicológicos ou psiquiátricos) que justifique a oferta de serviços de atendimento educacional especializado, considerada a possibilidade de articulação dos sistemas de ensino com a área da saúde e outras que se fizerem necessárias.

Múltiplo: associação de dois ou mais impedimentos de longo prazo, a partir dos quais são requeridos apoios, serviços e recursos para acessibilidade ao currículo e ao espaço escolar.

Visual: impedimento referente à baixa visão ou à cegueira, o qual demanda o uso de códigos, como o sistema Braille, além de recursos e serviços de acessibilidade ao currículo, orientação e mobilidade.

Altas habilidades ou Superdotação: seus alunos caracterizam por apresentarem habilidades acima da média em várias áreas de conhecimento (acadêmica, artística, psicomotora, liderança, etc.) ou em uma área apenas.

História geral da Educação Especial

Com relação a história da Educação Especial, podemos destacar como 3 os pontos principais.

No Brasil, os marcos da educação inclusiva foram a Constituição Federal de 88 e a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB, de 1996. Já em âmbito internacional, um dos documentos mais importantes foi a Declaração de Salamanca, resolução da ONU lançada em 1994, com vistas à promoção da educação inclusiva das crianças com necessidades especiais.

Infografico

Qual curso fazer? Técnico ou graduação?

Se você está em dúvida entre ingressar em um curso técnico ou de graduação em Educação Especial, precisa entender a diferença entre as opções.

A principal divergência entre elas se baseia na oferta dos conteúdos, enquanto um é mais superficial (curso técnico), o outro é mais abrangente (graduação) e engloba todos os aspectos de forma completa.

Outro ponto em que as opões divergem entre si é na questão da duração. Por não se aprofundarem no conteúdo, os cursos técnicos possuem uma duração mais curta quando comparados aos cursos de graduação.

Nesse sentido, cabe somente a você definir uma opção que esteja de acordo com os seus planos profissionais.

Quer saber ainda mais sobre a curso de Licenciatura em Educação Especial? Não deixe de acessar nossos outros posts sobre o assunto:

O que se estuda em Educação Especial?

O que faz um profissional formado em Educação Especial?

Licenciatura em Educação Especial EAD: vantagens e metodologia

Mercado de trabalho para um licenciado em Educação Especial

Leia também:

– O que é Licenciatura em Letras – Português?

Além da Licenciatura em Educação Especial, conheça outros cursos de graduação EAD oferecidos pelo EAD Unifacvest.

Graduação ou Pós-Graduação? Fique atualizado e saia na frente! Inscreva-se em nossa newsletter e receba conteúdos em primeira mão.

    Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade.

    Open chat
    Estamos online!